sexta-feira, 31 de julho de 2015

tarde mansa

tudo passa
menos essa tarde mansa
que pede cama
ou rede na varanda.

tudo passa
turbilhão um dia termina
euforia se esgota
fruta barata na esquina.

rotina retoma seu lugar
dias medianos
de par em par.

bem vinda calmaria.

dias tranquilos
sem sustos
sem novidade

quase sem graça
pra quem navega em tempestade.

terça-feira, 21 de julho de 2015

UTI

tentativa de fuga
mal sucedida
não consegue
esconder a ferida.

mais uma:
eterna despedida.

antes amor
agora azia.

armadilha da saudade
me pegou sem aviso
quase sem maldade.

a dor me obriga
a parar a corrida.

abalada estaco
encerro a partida.

deixo a tristeza
fazer seu papel
limpeza da carne
das sombras no céu.

terapia intensiva
pra salvar uma alma
cheia de vida.

domingo, 12 de julho de 2015

pintando

depois de surtos
de loucura alheia respingando
por frestas e panos
preciso de tinta
para encontrar paz
conforto 
eixo da frente
encontra o de trás.

na tela não tenho plano
apenas ideia
que se mostra sozinha
vontade só dela.

as cores surgem
sem previsão
contornos desfeitos
perfeitos
sem chão.

não existe prévia
esboço
ideia.

combustão espontânea
descontrole
descoberta.