quarta-feira, 11 de abril de 2018

poema analisado II

dou mil voltas
em torno de mim
até que algo faça sentido
até que uma mão gentil
abafe esse ruído
acalme esse furor
que me corrói
meu inimigo.

sintoma
não é sentimento

é o que deu errado no sentir
é sentir com tormento.

poema analisado I

entrego-me ao sentir
me afasto do querer

te adorarei sozinha
olhando-te em silêncio
murmurando pensamentos
que são só meus
amorosos
intensos

aceito que são meus
desnecessário dividir

platonizo meu querer
faço do teu não
um amigo
me visto de calmaria
nela me abrigo.

terça-feira, 20 de março de 2018

Para Dany López

se cruza um rio
e tudo muda.

distâncias bem pequenas

resultam diferenças extremas.

chora-se um oceano

para limpar da alma os enganos.

se cruza um dia 

e tudo afunda.

barcos fantasma

resistindo à tempestade
sucumbem ao fim
esmaecem na paisagem.

se cruza um medo

e tudo é luta.

se cruza o desejo

e tudo é fuga.

mas quando cruzo a fronteira

(da banda oriental)
é tudo música.





segunda-feira, 19 de março de 2018

14

Luiza
que anda pelo mundo 
parecendo distraída

Mostra dia a dia
que sabe onde pisa.

Luiza
que já veio ao mundo
de alma e cabeça aberta
sabe exatamente
o jeito certo 
de expor suas ideias.

Luiza que agora
mal me fala
mal me olha

mas sempre

me abraça

e me acolhe.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

nicotina

há uns 25 anos
que estamos assim
nesse vai e vem.

ora juntos
ora separados

e eu sempre achando
que era bom
te ter ao meu lado

sabendo mesmo
todos teus pecados.

mas hoje a consciência
esse guia teimoso - que me testa a paciência
te bota pra fora.

e desde então 
não durmo direito
dia inteiro
desconforto no peito.

o olho não pára
não tem paradeiro.

inquietude me toma
se aloja 
na boca
agora sem cheiro.





quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

aquela senhora teimosa

mando embora a esperança
essa senhora teimosa
que nunca se cansa.

vazios antigos
vácuos perdidos
que comiam na mão
daquela senhora teimosa

recheio aos poucos
com poesia 
e prosa.

não dá pra esperar
pote de ouro
que é feito de ar.

lá fora há um mundo
vou encontrar
um peito 
onde possa dormir
um abraço 
onde queira morar.

hoje

hoje me hidrato
com água de coco
houve um tempo
era tua saliva
cobrindo meu corpo.

meu cabelo hoje
anda solto
antes mudava as ondas
destino dos loucos.

hoje esqueço
deixo pra lá
feridas antigas
que quero fechar.

hoje
abro novos caminhos
saio da curva
amplio meus ritmos.