segunda-feira, 31 de julho de 2017

julho revirado

esse julho revirado
deixo pra trás
junto das armas
ressentimento mordaz.
desisto das pedras
como fontes de vida
tratei de vê-las qual são:
duras e secas
(contudo)
degraus na subida.
só há um confronto:
comigo
e com as minhas feridas.
esse julho revirado
símbolo dos dias
de tormenta e fracasso.
esse julho revirado
que é também uma chance
de reinventar os meus laços.
e porque é julho procuro
cruzar a ponte
entre o que sei
e o que abafo.

Nenhum comentário: